Você já mediu sua glicose fora do jejum?

post-glicose

A medida do açúcar (glicose) no sangue é um dos exames laboratoriais mais realizados no mundo inteiro, e visa diagnosticar o diabetes (excesso de açúcar no sangue), doença cada vez mais comum.

A quantidade de glicose no sangue varia durante o dia, a depender especialmente das refeições, por isso geralmente o exame é feito em jejum, quando considera-se normal valores abaixo de 100 mg/dL. Em alguns casos, onde a suspeita de diabetes é maior, o exame é feito 2 horas após o consumo de uma carga de 75 gramas de glicose; nesses casos, o limite do normal é 140 mg/dL de glicose.

Porém, a maneira mais prática de medir a glicose é com a chamada dosagem casual, onde a medida é feita a qualquer momento, sem jejum. Neste caso, os valores normais são abaixo de 120 mg/dL.

Esta definição fixa de valores normais, entretanto, foi desafiada por um megaestudo chinês que acabou de ser publicado no periódico médico americano JAMA: nesse trabalho, foi realizada a dosagem casual de glicose em quase meio milhão de chineses, de 30 a 79 anos de idade, sem diabetes entre 2004 e 2008. Depois, os participantes foram acompanhados a fim de determinar os casos de morte de origem cardiovascular, infartos, “derrames” e doença vascular periférica.

Correlacionando os valores iniciais de glicose no sangue com os eventos subsequentes, houve uma forte correlação: quanto mais alta a medida casual de glicose, mais eventos (doenças) posteriores. Isto já era sabido. Porém, os pesquisadores perceberam que o aumento de complicações ocorre já a partir do valor de 72 mg/dL, valor bem dentro da faixa considerada normal. E, a partir de 106 mg/dL, a correlação tornou-se tão forte que, para cada 18 mg/dL a mais, o risco de morte cardiovascular aumentou 11%, assim como o risco de eventos não fatais. Mesmo quando excluíram-se da análise os pacientes que vieram a se tornar diabéticos durante o acompanhamento, as correlações mantiveram-se.

Então, os resultados indicam que a relação entre glicose no sangue e complicações (muitas vezes fatais) é mais intensa do que se imaginava, e ocorre já em valores ainda considerados normais.

Manter a glicose dentro de níveis seguros é uma tarefa difícil nos dias de hoje, graças aos modernos alimentos do século XXI, riquíssimos em farinhas e açúcares. Para preservarr a saúde, devemos nos habituar a evitar a maioria dos alimentos industrializados, e reservar as farinhas e açúcares para dias especiais.

Fontes:

 http://cardiology.jamanetwork.com/article.aspx?articleid=2536029

http://www.medscape.com/viewarticle/866699

 


Comentários

Deixe um Comentário