Sou gordo devido à genética

colesterol2

A afirmação acima é comum em consultórios médicos e de nutricionistas. Muitas pessoas com obesidade atribuem seu insucesso em emagrecer à genética. Porém, o periódico médico BMJ acaba de publicar um estudo a respeito que pode ajudar a desfazer esse mito. 

Autores chineses e norte-americanos analisaram 2 fatores em um grupo de 14.000 indivíduos: 1) a chance genética de ser obeso, determinada por 77 genes em conjunto; 2) a dieta, que foi reavaliada de 4 em 4 anos, durante 20 anos, e classificada como saudável ou inadequada, com estágios intermediários. 

Os dados de 20 anos de seguimento indicaram que, quanto mais saudável a dieta, menos ganho de peso. Isto já era esperado. 

Para os participantes com dieta saudável, não houve ganho de peso, seja com ou sem genética para obesidade. Para todos participantes com dieta inadequada, houve ganho de peso, mas o ganho de peso foi maior para aqueles com genética de obesidade. 

Isto indica que o ganho de peso dependeu principalmente da dieta, e a manutenção da dieta correta foi ainda mais importante naqueles predispostos geneticamente a engordar. 

Os autores concluem: “Estes dados indicam que aumentar a aderência a hábitos saudáveis de alimentação pode atenuar a associação genética com ganho de peso. Além disso, o efeito benéfico da qualidade da dieta no manejo do peso foi particularmente mais pronunciado em pessoas com alto risco genético de obesidade”. 

Dito de outra maneira: as pessoas mais “favorecidas” geneticamente não precisam de tanto cuidado com a comida para manterem-se no peso adequado, mas os “desfavorecidos” podem sim evitar o ganho de peso com cuidados alimentares. 

Fonte:  

http://www.bmj.com/content/360/bmj.j5644 

 


Comentários

Deixe um Comentário