Novo relatório das consequencias do tabagismo

Untitled-1

O departamento americano de saúde e serviços (Surgeon General) publicou agora em janeiro a versão de 2014 do Relatório das Consequências do Tabagismo. Na época da primeira publicação, em 1964, há exatos 50 anos, 43% dos americanos adultos fumavam. Comemora-se que hoje este índice é de 18%. Estima-se que neste meio século cerca de 20 milhões de americanos morreram em decorrência do tabagismo (incluindo-se 2,5 milhões que não eram fumantes ativos, mas sim passivos): 6,8 milhões por câncer, 10 milhões por doenças cardiovasculares ou metabólicas, 3,8 milhões por doenças pulmonares e 86 mil por incêndios residenciais, entre outros.
O relatório de 2004 demonstrou que o hábito de fumar causa impacto em praticamente todos órgãos do corpo. O relatório de 2006 concluiu cientificamente que não há nível seguro de exposição ao fumo passivo. Mesmo 50 anos após o primeiro relatório, ainda há novas evidências científicas a serem apresentadas em 2014:
•    Câncer de fígado e colorretal foram adicionados à lista de neoplasias associadas ao fumo.
•    Fumo passivo causa “derrames”.
•    Quem já tem ou teve câncer também tem mais risco de morte se fumar.
•    Fumar causa diabetes.
•    Fumar causa inflamação no corpo e reduz a imunidade
•    Fumar causa artrite reumatoide

Abaixo listo as 10 principais conclusões do relatório:
•    A epidemia de fumo causou uma tragédia pública enorme e evitável, com mais de 20 milhões de morte nos últimos 50 anos.
•    A indústria do cigarro tem importante responsabilidade nesta epidemia.
•    Desde o primeiro relatório em 1964, o fumo foi associado a doenças em praticamente todos órgãos do corpo, à redução de vitalidade e a malefícios aos fetos. E a lista de doenças segue aumentando.
•    Exposição à fumaça do cigarro dos outros está relacionada ao câncer, doenças respiratórias e cardiovasculares, e a efeitos adversos na saúde de bebês e crianças.
•    O risco de ficar doente devido ao fumo aumentou muito para as mulheres nestes 50 anos, e agora se iguala ao risco masculino para câncer de pulmão, doença pulmonar obstrutiva crônica e doenças cardiovasculares.
•    Além de causar doenças, o fumo tem muitos efeitos adversos no organismo humano, como causar inflamação e reduzir a imunidade.
•    Apesar do índice de tabagismo ter caído muito, existe grande disparidade dele entre raças, etnias, nível educacional, status socioeconômico e regiões do país (EUA).
•    Desde o primeiro relatório, em 1964, programas e leis de controle de tabaco detalhados mostraram-se efetivos em reduzir o tabagismo. E o uso sustentado destes meios pode reduzir mais ainda o hábito de fumar.
•    A carga de morte e doenças relacionadas ao uso de tabaco nos EUA é devida maciçamente ao uso de cigarros e outros produtos da combustão do tabaco; eliminação rápida de seu uso vai reduzir dramaticamente esta carga.
•    Por 50 anos o relatório do Surgeons General tem fornecido informações e bases científicas sólidas para ações públicas anti-tabagismo.

Fonte:
http://www.surgeongeneral.gov/library/reports/50-years-of-progress/exec-summary.pdf


Comentários

Deixe um Comentário