Investigando arritmias e desmaios

arritmia

As arritmias cardíacas estão entre as doenças mais comuns desse órgão. Elas ocorrem quando há um distúrbio elétrico no funcionamento do coração, levando-o a ter batimentos inadequados.

O que eu sinto se tiver uma arritmia?

O sintoma mais comum de arritmia é palpitação, ou seja, sensação anormal dos batimentos do coração. O paciente pode sentir o coração acelerado, ou o coração “falhando”, ou batidas mais fortes, ou uma sensação de “vazio” no peito, ou então uma combinação variada desses sintomas. Porém, muitas arritmias passam despercebidas pelo paciente (ele não nota diferença nas batidas do coração durante a arritmia) e o paciente sente apenas suas consequências, na forma de tonturas, desmaios, quedas, fraqueza ou dor no peito.

Existem muitas arritmias cardíacas diferentes, algumas delas completamente inofensivas, outras podendo ser fatais, algumas facilmente tratáveis, outras de difícil solução. Então, é muito importante para o médico descobrir QUAL O TIPO de arritmia que atinge o paciente. Não existe um tratamento geral que sirva para todas arritmias, cada uma tem seu manejo próprio. Para complicar um pouco as coisas, grande parte das arritmias são INTERMITENTES, ou seja, ocorrem apenas em alguns momentos, e o coração bate normalmente entre um episódio e outro; existem arritmias que ocorrem várias vezes ao dia, outras poucas vezes ao ano, e algumas são constantes.

O diagnóstico do tipo de arritmia somente pode ser realizado com o ELETROCARDIOGRAMA, exame extremamente simples e difundido. Porém, o eletrocardiograma necessita ser feito no EXATO MOMENTO em que a arritmia está presente. No caso das arritmias intermitentes, isso pode ser um grande problema para o diagnóstico, pois na maioria das vezes não há tempo suficiente para que se procure um serviço de eletrocardiografia durante uma crise de arritmia, e ela acaba por não ser registrada. Sem falar que muitas pessoas não sentem seus episódios de arritmia, o que torna sua detecção por eletrocardiograma quase inviável.

imagem 1 post

Assim, a tecnologia aliada à medicina desenvolveu há bastante tempo aparelhos portáteis de eletrocardiografia (figura), que podem ficar juntos ao corpo do paciente por períodos longos de tempo (mais comumente, 24 horas) a fim de registrar eventuais arritmias. O exame que faz uso desses aparelhos portáteis chama-se Holter. Num exame de holter (figura) tradicional, o aparelho registra toda atividade do coração durante 24 horas, e depois os dados são repassados a um computador à procura de arritmias. Mesmo que o paciente não tenha sentido nada, muitas vezes observam-se arritmia neste exame.

Sem Título-1

No caso de arritmias que ocorrem todos os dias, o exame de 24 horas é o suficiente para seu diagnóstico, porém muitas arritmias ocorrem de maneira mais esporádica, e faz-se necessário utilizar um monitor de holter por períodos mais prolongados. Monitores que podem ficar até 7 dias ligados ao paciente já deixaram de ser novidade, e estão disponíveis aqui mesmo em Santa Cruz do Sul (http://cordialexames.com.br/exames/ ), sendo extremamente úteis em casos de palpitações (ou desmaios) nunca registrados.

Outros exames que podem ser necessários para elucidar o diagnóstico da arritmia são a ecocardiografia, análises laboratoriais, teste ergométrico e estudo eletrofisiológico. Todos disponíveis em nossa cidade.

Portanto, caso você tenha palpitações ou algum dos outros sintomas descritos acima, especialmente desmaios, procure seu cardiologista: a investigação está disponível, e todas as arritmias possuem tratamento.


Comentários

Deixe um Comentário