DETECÇÃO DE ARRITMIA COM SMARTPHONE

post1608

Autores suíços e alemães apresentaram no Congresso Europeu de Arritmias um estudo interessante, onde o Iphone 4S foi utilizado para tentar detectar a presença de FIBRILAÇÃO ATRIAL.

Dentre as inúmeras arritmias cardíacas existentes, a FIBRILAÇÃO ATRIAL é uma das mais comuns, e talvez a mais desafiadora para o cardiologista. Trata-se de uma arritmia extremamente frequente na população idosa, e que causa grande número de AVCs isquêmicos (“derrames”).

Na fibrilação atrial, as câmaras superiores do coração (átrios) deixam de contrair ritmicamente para bombear sangue, e passam a “tremer” em alta velocidade, propiciando a criação de coágulos de sangue em seu interior; tais coágulos são predispostos a movimentar-se com o fluxo de sangue que sai do coração, migrando para o cérebro, onde obstruem a passagem do sangue e causam o AVC. O diagnóstico desta arritmia é muito importante, pois existem tratamentos eficazes para evitar que seu portador sofra um AVC.

A fibrilação atrial pode ser PERMANENTE, quando está constantemente presente, sendo neste caso facilmente diagnosticável com a realização do eletrocardiograma comum. Porém, em grande parte dos casos, a arritmia é INTERMITENTE, ocorrendo somente por curtos períodos de tempo, separados por longos períodos de atividade normal dos átrios. Nestes casos, o perigo de um AVC é constante (mesmo fora dos curtos períodos de arritmia), mas seu diagnóstico torna-se difícil, pois é necessário realizar um eletrocardiograma justamente no momento em que a arritmia está presente. Durante um episódio desta arritmia, os batimentos cardíacos tornam-se irregulares.  Mesmo que o paciente perceba que o coração está “falhando” ou “batendo fora do ritmo”, geralmente não há tempo hábil para realizar um eletrocardiograma antes que a arritmia cesse espontaneamente.

No estudo anunciado, um aplicativo especialmente desenvolvido utilizou o flash do Iphone, e sua câmara, para tentar detectar arritmias analisando o fluxo de sangue no dedo dos participantes, através de pletismografia. O aplicativo percebe os batimentos cardíacos usando as mudanças de cor causadas pelo movimento pulsátil do sangue no dedo, e estas pulsações foram gravadas por 5 minutos, em 40 pessoas com ritmo cardíaco normal e 40 pessoas com fibrilação atrial. Nos pacientes com a arritmia, o ritmo da pulsação é irregular.

Através de sofisticados testes estatísticos, foi possível diagnosticar a presença desta arritmia com 95% de precisão neste grupo, sem necessidade de eletrocardiograma, apenas com o Iphone. Assim, torna-se possível confirmar esta arritmia em qualquer lugar, no momento em que o paciente perceber a alteração nos batimentos, com o smartphone.

Mais testes serão feitos, e talvez o algoritmo seja aprimorado, mas aparentemente trata-se de uma novidade que será de grande auxílio no diagnóstico desta patologia.

O app está disponível para IOs e Android em https://www.preventicus.com/en/.

Fonte: http://www.medscape.com/viewarticle/881622

 


Comentários

Deixe um Comentário